BRINCADEIRAS PARA O DIA DAS MAMÃES


O dia das Mamães está chegando e nada melhor do que o brincar em família. No caso de escolas, os professores podem organizar e aplicar em eventos recreativos ou deixar por conta do Recreador. Quem nunca precisou realizar atividades para o dia das Mães fala: Euuuu! Bom, para os principiantes e para os experientes segue abaixo algumas dicas de atividades entre Mamães e filho(a)s.


IDEIAS DE ATIVIDADES

1) OS NÚMEROS

Materiais: Cartões com números diferentes. Desenvolvimento: Cada mãe recebe um número que não deve ser mostrado para ninguém. Dada a ordem, cada uma vai procurar o número igual ao seu e não acha. Comentam-se as conclusões: a mãe é única e insubstituível.


2) CUMPRIMENTAR AS MÃES

Tempo Estimado: 25 minutos. Matéria: Musica animada. Descrição: Orientador explica ao grupo de mães que quando a música tocar todas deverão mover-se pela sala de acordo com o ritmo da mesma. A cada pausa musical, congelar o movimento e prestando atenção a solicitação que será feita pelo recreador. Quando a música recomeçar atender a solicitação feita. Orientador pedirá formas variadas de cumprimento corporal a cada parada musical. Exemplo: Com as palmas das mãos; Com os ombros; Com os cotovelos; Com as costas; Com os joelhos; Com os pés; Após vários tipos de cumprimento, ao perceber que se estabelece no grupo um clima alegre e descontraído, orientador diminui a música pausadamente, pedindo a cada pessoa que procure um lugar na sala para estarem de pé, olhos fechados, esperando que a respiração volte ao normal. Abrir os olhos, olhar as companheiras e sentar. Comentar o exercício: O que foi mais difícil executar? Por quê? O que mais gostou? O que pode observar?


3) JOGO COMUNITÁRIO

Material: uma flor. Desenvolvimento: Os participantes sentam-se em círculo e o recreador tem uma flor na mão. Diz para a pessoa que está à sua esquerda: senhora… (diz o nome da pessoa), receba esta flor que o senhora…(diz o nome da pessoa da direita) lhe enviou… E entrega a flor. A pessoa seguinte deve fazer a mesma coisa. Quem trocar ou esquecer algum nome passará a ser chamado pelo nome de um bicho. Por exemplo, gata. Quando tiverem que se referir a ela, as suas vizinhas, em vez de dizerem seu nome, devem chamá-la pelo nome do bicho. O recreador deve ficar atento e não deixar as participantes entediadas. Quanto mais rápido se faz à entrega da flor, mais engraçado fica o jogo. Esta dinâmica é muito boa para realizar com as mães da turma.


4) CASAS DAS MÃES

Tempo Estimado: 40 minutos. Material: Para essa dinâmica só é necessário um espaço livre para que as mães possam se movimentar. Descrição: Dividir-se em grupos de três pessoas e deverá sobrar um. Cada grupo terá 2 paredes e uma moradora. As paredes deverão ficar de frente uma para a outra e dar as mãos (como no túnel da quadrilha da Festa Junina), o morador deverá ficar entre as duas paredes. A pessoa que sobrar deverá gritar uma das três opções abaixo: MORADORA!!! – Todos os moradores trocam de “paredes”, devem sair de uma “casa” e ir para a outra. As paredes devem ficar no mesmo lugar e a pessoa do meio deve tentar entrar em alguma “casa”, fazendo sobrar outra pessoa. PAREDE!!! – Dessa vez só as paredes trocam de lugar, os moradores ficam parados. Obs: As paredes devem trocar os pares. Assim como no anterior, a pessoa do meio tenta tomar o lugar de alguém. TERREMOTO!!! – Todos trocam de lugar, quem era parede pode virar morador e vice-versa. Obs: NUNCA dois moradores poderão ocupar a mesma casa, assim como uma casa também não pode ficar sem morador. Repetir até observar que há interesse dos participantes. Conclusão: Como se sentiram os que ficaram sem casa? Os que tinham casa pensaram em dar o lugar ao que estava no meio? Sugestão: Quanto menor o espaço melhor fica a dinâmica, já que isso propicia várias trombadas. É muito divertido!!!


5) VARINHA

Material: Um feixe de 16 varinhas (pode-se usar palitos de churrasco). Objetivo: União do grupo. A fé como força que pode agregar, unir e dar resistência às pessoas. Pedir que um dos participantes pegue uma das varinhas e a quebre (o que fará facilmente). Pedir que outro participante quebre cinco varinhas juntas num só feixe (será um pouco mais difícil). Pedir que outro participante, quebre todas as varinhas que restaram, se não conseguir, poderá chamar uma outra pessoa para ajudá-lo. Pedir que todos os participantes falem sobre o que observaram e concluíram. Terminar com uma reflexão sobre a importância de estarmos unidos Professores e Mães pela educação das crianças.


6) AFETO

Para a realização desta atividade vamos precisar de um bichinho de pelúcia e 7 a 30 pessoas podem participar. O objetivo desta brincadeira é exercitar manifestações de carinho e afeto. Descrição: Após explicar o objetivo, o coordenador pede para que todos formem um círculo e passa entre eles o bichinho de pelúcia, ao qual cada integrante deve demonstrar concretamente seu sentimento (carinho, afeto, etc.). Deve-se ficar atento a manifestações verbais dos integrantes. Após a experiência, os integrantes são convidados a fazer o mesmo gesto de carinho no integrante da esquerda. Por último, deve-se debater sobre as reações dos integrantes com relação a sentimentos de carinho, medo e inibição que tiveram.


7) BOLINHO

Recursos: bolinhos em forminhas. Descrição: Em uma mesa coloque diversos bolinhos tipos cupcake. Debaixo de alguns deles os organizadores colocarão tarefas para as mães, como por exemplo: Contar sua reação quando soube que seria mãe, contar a história do nome de seu filho, etc. E em algum bolinho deverão conter 1 brinde para a mamãe. Se desejarem rir um pouco pode colocar também nos bolinhos tarefas engraçadas. Essa brincadeira pode se tornar uma oportunidade de muitas mães contarem aos filhos, o que nunca souberam sobre elas.


8) JOGO COMUNITÁRIO

Para essa brincadeira para o dia das mães vamos precisar de uma flor. Desenvolvimento: Os participantes sentam-se em círculo e o animador tem uma flor na mão. Diz para a pessoa que está à sua esquerda: senhora… (diz o nome da pessoa), receba esta flor que o senhora… (diz o nome da pessoa da direita) lhe enviou… E entrega a flor. A pessoa seguinte deve fazer a mesma coisa. Quem trocar ou esquecer algum nome passará a ser chamado pelo nome de um bicho. Por exemplo, gata. Quando tiverem que se referir a ela, as suas vizinhas, em vez de dizerem seu nome, devem chamá-la pelo nome do bicho. O animador deve ficar atento e não deixar as participantes entediadas. Quanto mais rápido se faz à entrega da flor, mais engraçado fica o jogo. Esta dinâmica é muito boa para realizar com as mães da turma.


9) BALAS

Da mesma maneira sugerimos que os professores comuniquem com antecedência as mães dos alunos para que aquelas que queiram participar compareçam no dia da atividade e colaborem com o desenvolvimento. Material necessário: Um saco de balas e uma bandeja. O recreador pedirá que todos sentem em círculo. Deve pegar todas as balas e colocar sobre a bandeja no meio da roda. A tarefa é simples, pais e alunos devem ir, um de cada vez, até a bandeja e pegar uma bala para chupar, só que aí entra o detalhe. NINGUÉM PODE USAR AS MÃOS para descascar a bala e por na boca. Foi apresentado o desafio que somente com o trabalho em grupo poderá ser solucionado. Essa é uma dinâmica de dia das mães divertida e engraçada, as pessoas se esforçam e todos riem muito e no final concluem que a ajuda dos demais participantes é fundamental para cumprir a tarefa. No final da atividade o professor ou coordenador deverá explicar que tal como na dinâmica, a escola também precisa da colaboração dos pais e alunos para desenvolver suas atividades. O trabalho em grupo entre pais, professores, alunos e funcionários da escola é a base para o sucesso da instituição. Da mesma maneira, ao longo da vida pessoal e profissional o aluno vai entender que o trabalho em equipe é a alavanca que move as grandes instituições.


10) MUITA ATENÇÃO

O importante é que nesse dia (e nos outros também) os mamães invistam tempo juntos com seus filhos, seja, brincando, assistindo um filme ou apenas olhando eles brincarem. Crianças necessitam da aprovação, proteção e do cuidado das suas mamães. Se você tiver dúvidas ou contribuições, por favor, insira nos comentários. Ela poderá ajudar tantas outras pessoas!


11) ROLO DE BARBANTE

O objetivo dessa brincadeira de dia das mães é integrar o grupo, alunos, mães, professores e coordenadores com o propósito de apresentar conceitos de relacionamentos e integração pessoal. Essa é uma dinâmica muito simples, fácil de fazer e que dá excelentes resultados. Essa atividade pode ser feita em sala de aula com professores e alunos ou se a escola permitir, o professor pode fazer um convite as mães dos alunos para que essas compareçam num determinado dia para o desenvolvimento da dinâmica. Primeiramente todos os participantes devem formar um círculo, podem estar sentados ou em pé. Estando todos presentes o coordenador deve providenciar um rolo de barbante, segurando a ponta do barbante o rolo é lançado para um dos participantes, o coordenador sempre segurará a linha, esse participante, pode ser um aluno ou uma mãe deverá responder algumas perguntas previamente definidas como por exemplo: Para uma mãe: O que você poderia dizer sobre como seu filho vê a instituição de ensino e o que pode ser feito para melhorar tanto nas instalações quanto no ensino. Para um aluno: O que você gostaria de ser quando adulto e por que? Para um professor, pergunta de mãe: Como tem sido o progresso da sala de aula neste semestre? E assim por diante, cabe ao coordenador preparar as perguntas e deixá-las no quadro negro para que pais, alunos e demais participantes possam ler ou se preferirem fazer suas próprias perguntas. Cada pessoa que recebe o rolo deve responder uma pergunta, depois segura a linha e joga o rolo para outro participante, e assim por diante. No final teremos uma grande teia de barbante, nesse momento o coordenador deve explicar que essa teia representa os laços e relacionamentos criados durante a atividade e que devem ser mantidos para um progresso tanto da instituição, quanto dos professores, alunos e pais. A teia de relacionamentos será a base para que os alunos entendam que no mundo globalizado e dominado pela internet os relacionamentos podem ser determinantes na formação e do progresso pessoal e profissional do aluno.


12) CUMPRIMENTAR AS MAMÃES

Materiais: Música animada. Descrição: o recreador explica ao grupo de mães que quando a música tocar todas deverão mover-se pela sala de acordo com o ritmo da mesma. A cada pausa musical, congelar o movimento e prestando atenção a solicitação que será feita pelo recreador. Quando a música recomeçar atender a solicitação feita. O recreador pedirá formas variadas de cumprimento corporal a cada parada musical. Exemplo: Com as palmas das mãos; Com os ombros; Com os cotovelos; Com as costas; Com os joelhos; Com os pés. Após vários tipos de cumprimento, ao perceber que se estabelece no grupo um clima alegre e descontraído, orientador diminui a música pausadamente, pedindo a cada pessoa que procure um lugar na sala para estarem de pé, olhos fechados, esperando que a respiração volte ao normal. Abrir os olhos, olhar as companheiras e sentar. Comentar o exercício: O que foi mais difícil executar? Por quê? O que mais gostou? O que pode observar?


13) DINÂMICA DOS OLHOS VENDADOS

Reúna as mães e seus filhos em um grupo. Depois, coloque as vendas nos olhos das mães e as crianças em uma fileira horizontal, em frente a elas. Após um sinal, cada uma das mães, de olhos vendados, devem tentar encontrar seus filhos pelo cheiro e tato. Explique para as crianças que elas precisam ficar em silêncio, para que as mães não se guiam pela voz dos filhos. Quando a criança for encontrada, ela deve tirar as vendas dos olhos das mães e lhe dar um abraço.


14) DINÂMICA DOS BALÕES AO AR

Uma dinâmica divertida, que garante boas risadas e ajuda as mães relaxarem? É a dos Balões ao ar! A atividade é simples: distribua um balão para cada mãe e criança e peça para que cada um deles o encha do tamanho que quiser. Depois que todos tiverem enchido, joguem os balões para cima e explique que eles não podem deixá-los caírem. Como? Apenas utilizando a cabeça! Durante o jogo, observe se as mães e crianças estão se integrando e se eles se ajudam. Finalizada uma rodada, eles devem trocar os balões entre si. Efetue quantas trocas forem possíveis. No final da dinâmica, celebrem e estourem os balões ao mesmo tempo.


15) DINÂMICA DA DANÇA DA ABELHA

No mesmo estilo das duas últimas dinâmicas, a Dança da Abelha reúne música, dança e movimentos copiados. Primeiro, forme um círculo com as mães e os filhos. Explique que as abelhas se comunicam por meio do movimento do corpo e assim, elas estabelecem a noção de localização da flor que encontraram. Depois da explicação, entregue um crachá com o desenho de uma abelha (ou outra identificação nesse estilo) para uma das mães. Quem estiver com ele deverá criar uma dança que todos os outros participantes deverão copiar. Coloque uma música animada e comece a brincadeira! Quando perceber que as mães e os filhos já estão familiarizados com a dança, entregue o crachá para outro participante, que criará outro jeito de dançar. Ao fim, todos devem ter tido a oportunidade de desenvolver seu movimento.


16) DINÂMICA DO BOLINHO

Quer melhor combinação do que uma dinâmica com comida? Esta atividade reúne as mães e os filhos. Em uma mesa, coloque vários cupcakes. Debaixo de alguns deles, coloque alguns bilhetes com tarefas para as mães. Por exemplo: conte a história de como o seu filho aprendeu a andar. A dinâmica é uma ótima oportunidade para os filhos conhecerem histórias que nunca ouviram. A oportunidade também é um ótimo momento para as mães se conectarem e se divertirem com recordações da maternidade e dos pequenos.


17) DINÂMICA DA VOZ

Será que as crianças conseguem reconhecer a mãe pela voz? Vamos descobrir nesta dinâmica! As mães devem ficar escondidas atrás de uma cortina. Uma por vez, cada uma deve usar a voz de alguma maneira – a mãe pode falar algo, cantar uma música, declamar um verso, ler o pedaço de uma história… o que preferir e a deixá-la mais confortável. Caso ela desejar, pode até mesmo tentar fazer uma voz diferente, para confundir as crianças. As crianças, enquanto isso, estão do outro lado da cortina. Elas devem estar com os ouvidos atentos para ver se conseguem reconhecer a mãe pela voz. Quando o filho reconhecer a mãe, ele deve ir em direção ao local onde sente que a voz está e puxar a mãe para o lado de fora. Caso esteja correto, os dois se reencontram com um abraço.


18) DINÂMICA DOS CUMPRIMENTOS

Vamos relaxar e estimular a afetividade? Coloque uma música animada e peça para o grupo de mães e filhos se mover pela sala de acordo com o ritmo da canção. Toda vez que a música parar, eles devem congelar o movimento e cumprir a ordem do condutor da dinâmica, que a cada pausa, pedirá para que eles se cumprimentem de uma forma diferente: com um aperto de mão, um abraço, um tapinha nas costas etc. Depois de todos terem se cumprimentado de diferentes formas e o clima estiver alegre e descontraído, diminua a música pausadamente. Oriente cada participante a procurar um lugar na sala, onde ele deve ficar em pé, de olhos fechados e esperar que a respiração volte ao normal. Quando eles estiverem mais relaxados, peça para que eles abram os olhos, se sentem e observem os outros companheiros. Agora, pergunte: como foi realizar a dinâmica? O que eles mais gostaram da atividade? O que puderam observar?


19) DINÂMICA DA PROJEÇÃO DOS SENTIMENTOS

Coloque uma música instrumental leve e peça para elas formarem um círculo em pé. Entregue uma boneca para uma delas e peça que ela faça qualquer coisa com o brinquedo, como abraçar, beijar, bater, entre outros. Avise as participantes que elas vão precisar lembrar, depois, o que fizeram com a boneca. Finalizada essa etapa, a mãe deve passar a boneca para quem estiver à direita. Esta mãe também deverá fazer alguma coisa com o brinquedo. Depois que a boneca já passou por todas as mães, recolha a boneca. Agora, peça para cada mãe repetir a mesma coisa que fez com o brinquedo mas, dessa vez, com a vizinha da direita. Quais foram as reações delas? Após essa experiência, pergunte para as mães como elas se sentiram ao realizada a atividade e como foi expressar os sentimentos. Foi constrangedor ter um gesto de carinho com alguém que talvez você não seja tão íntimo? Como foi a desenvoltura de cada uma? Esta dinâmica é feita justamente com essa ideia – pensar sobre como desenvolvemos afetividade. Uma interessante reflexão para todas as mães.


20) DINÂMICA DO OLHAR

Já dizem: um olhar vale mais do que mil palavras. Nesta dinâmica, coloque músicas suaves e peça para que todas as mães caminhem livremente por uma sala, procurando olhar umas para as outras, mas em silêncio. Depois, selecione uma voluntária, mas sem explicar o que ela irá fazer. Peça para as mães formem um círculo. Oriente a voluntária a se posicionar de frente para seu vizinho de esquerda, de modo que ambas fiquem se olhando nos olhos por um minuto. Dado o tempo, sinalize para a voluntária repetir a mesma experiência com a pessoa seguinte até passar por todas as mães. Após a voluntária ter feito a experiência com três mães, peça para a próxima mãe a continuar o processo até que todas tenham vivido esse momento. Finalizada a dinâmica, questionem e reflitam: 1) O que você sentiu ao vivenciar esse momento? 2) O que foi mais constrangedor (ou difícil) – olhar ou ser olhado? 3) Quais as dificuldades que você sentiu ao vivenciar esta experiência? 4) Algumas pessoas desviaram o olhar? Por quê? 5) O que significa olhar no olho de outra pessoa?


21) DINÂMICA DO SUBSTANTIVO

Uma boa comunicação é essencial em qualquer relacionamento. Pensando nisso, trabalhe esta habilidade na dinâmica do substantivo! Reúna as mães em um círculo e distribua papel, caneta e lápis para cada uma delas. Depois, peça para elas escreverem um substantivo, sem deixar que as outras participantes vejam. Em seguida, oriente elas a passarem o papel para a pessoa da direita, que terá que representar o substantivo em forma de mímicas para o restante das participantes adivinhar. Prepare-se para dar boas risadas!


22) DINÂMICA EU SOU ALGUÉM

Durante a maternidade, imersas em uma tarefa ou outra, é muito comum observamos que as mães se deixam de lado. Na dinâmica Eu sou alguém, queremos promover um momento de autoconhecimento e de reflexão, onde elas possam refletir sobre suas particularidades e seus sentimentos. Para começar, peça para que as mães se sentem e fiquem em círculo. Distribua uma folha e caneta para cada uma delas e peça para que elas listem, no mínimo, dez características. De um lado, elas devem colocar aquelas que facilitam a vida delas e de outro, as que dificultem. Estipule um tempo para a tarefa. Depois que todas terminarem, pergunte para elas qual lado pesou mais: o das que facilitam ou das que dificultam? Também questione como elas se sentiram realizando a atividade. Abra um espaço para que elas verbalizem o que sentem em relação a si próprias. Ressalte como cada uma delas é única e como seus sentimentos são válidos e importantes.


23) DINÂMICA DO QUEM COMEÇOU?

Quer uma dinâmica divertida, mas com mais adrenalina? Na Quem começou?, as mães vão precisar de atenção redobrada! Peça para uma delas sair da sala, enquanto as outras formam um círculo. Entre elas, deve-se decidir uma líder. Toda vez que ela começar uma ação (coçar a cabeça, piscar o olho, bater palmas etc), as outras devem copiar. Os movimentos precisam ser sempre modificados e logo imitados. Depois de decidir a líder e todas estarem a par das regras da atividade, a participante que estava do lado de fora retorna para a sala. Ela deve adivinhar quem é a líder e para isso, tem três chances. Caso não acerte, ela deverá pagar uma prenda. Se conseguir adivinhar corretamente, a líder sai da sala e o jogo recomeça.


24) DINÂMICA DO PIQUINIQUE

Peça para que cada mãe coloque um papel com o nome dela em um crachá. Depois, reúna todas as participantes em um círculo. Em seguida, inicie a dinâmica dizendo: “Eu vou ao piquenique e vou levar a [nome de uma das mães]. [nome de uma das mães], o que você vai levar?”. A mãe que for questionada deverá responder com alguma coisa que inicie com a primeira letra de seu nome (por exemplo, se ela se chamar Maria, pode falar que vai levar morango, mamão etc). No entanto, ela não sabe da regra. O condutor da dinâmica deve apenas dizer se ela acertou ou se ela errou. Se a mãe acertar, sai da brincadeira. Se ela errar, continua. Na primeira rodada, pelas participantes desconhecerem a rodada, nenhuma delas acerta. O jogo continua normalmente até todas forem convidadas pelo piquenique. Ao final, o condutor começa novamente. Com o tempo, as mães, por observação e dedução, descobrem a regra. Continua-se a dinâmica até restar apenas uma ou duas pessoas. As últimas participantes devem pagar uma prenda. No final, uma sugestão: convide as mães para um piquenique real! Se estiverem acompanhadas dos filhos, melhor ainda!


MUITA ATENÇÃO

O importante é que nesse dia (e nos outros também) os papais invistam tempo juntos com seus filhos, seja, brincando, assistindo um filme ou apenas olhando eles brincarem. Crianças necessitam da aprovação, proteção e do cuidado dos seus papais.


Se você tiver dúvidas ou contribuições, por favor, insira nos comentários. Ela poderá ajudar tantas outras pessoas!



0 visualização

Copyright Mestre Cleber Mena Leão Junior  |  Maringá, Paraná, Brasil  |  CEP: 87083-500