COMO UM CONTRATO NOS SALVOU DE UM PREJUÍZO

Atualizado: Nov 3


Vamos lá... você utiliza contrato de prestação de serviços em seus eventos com recreação? E se eu te falar que a utilização de um contrato é extremamente importante e pode te salvar de um prejuízo, você acreditaria?


Caso você não tenha essa prática. Um conselho: melhor começar.

Pois, foi ele que nos salvou de ter um tremendo prejuízo.


#sourecreador #sourecreadordesucesso #habilidadesdorecreador



Em 2015 uma pessoa entrou em contato com a nossa empresa – Clube dos Recreadores – para nos contratar para trabalhar com recreação em uma festa de casamento. Apresentamos nossa proposta e valores. Ela analisou e disse que falaria com seu noivo. Todo esse tramite foi realizado via telefone e posteriormente com envio da proposta por e-mail.


Alguns dias se passaram e ela fechou conosco. Ao fechar, nos preencher o contrato e enviamos para ela: ler – imprimir – assinar – escanear – nos enviar. E tudo certo até então.


Chegou o dia do casamento. Fomos em 2 recreadores (minha esposa e eu). Planejamos as atividades, separamos os materiais, colocamos o uniforme e o endereço no google maps. Saímos mais cedo de casa. Primeiro porque sempre chegamos com 30 minutos de antecedência e segundo porque o casamento era em outra cidade.


Ao chegar, reconhecemos o local, descarregamos os materiais para a realização das atividades juntamente com a caixa de primeiros socorros. Perguntamos para a promotora do casamento (pessoal responsável por cuidar de tudo no casamento) onde era o espaço para a recreação.


Durante todo o nosso período de trabalho com atividades recreativas, escultura em balões e pintura de rosto não houve nenhum problema e conseguimos manter todas as crianças integrada e ativas nas atividades.


Em determinado momento da festa de casamento. Os noivos chegaram em nosso local, brincaram com as crianças, pularam corda, tiraram fotos e se divertiram no local. Foi muito divertido mesmo, as crianças amaram esse momento.


Ao final do período contratado pelo serviço de recreação, limpamos o local ao qual estávamos, guardamos todos nossos materiais e fomos até a promotora para recebermos por nosso serviço, pois havíamos acertado em contrato que receberíamos ao final do evento.


Nesse momento que algo deu muito errado. A promotora disse:


- Promotora: “eu não estou sabendo sobre pagamento. Os noivos não me falaram nada. Vou verificar com eles.”


- Clube dos Recreadores: “o que será que aconteceu, pensamos!”


- Promotora: “a noiva disse que não contratou recreação do Clube dos Recreadores, contratou outra empresa.”


- Clube dos Recreadores: “como assim promotora? Só estamos nós realizando as atividades recreativas, não tem nenhuma outra empresa, e mais, temos um contrato assinado por ela fechando conosco.”


- Promotora: “pode me mostrar por favor? Ai apresento para ela!”


- Clube dos Recreadores: “claro, vou pegar no carro.”


Nesse momento corri (literalmente) até o carro, pensando (será que logo hoje eu não trouxe o contrato? Eu sempre trago, mas e se dessa vez eu esqueci?). Chegando no carro, vejo o contrato e UFA! Li para ver se tinha mesmo a assinatura da contratante... e para minha surpresa: tinha sim!


Entregamos para a promotora, ela levou para noiva... e sabe o que aconteceu?


Eles tiveram que pagar. A promotora falou que eles tiveram que pegar o dinheiro da gravata do noivo (porque os noivos não trazem dinheiro para festa de casamento).


O interessante disso tudo é que a contratante havia fechado também com outra empresa de recreação. Mas essa empresa não foi prestar o serviço no casamento e também não avisou ninguém.


Quando os noivos brincaram e se divertiram conosco, na cabeça deles não era a empresa Clube dos Recreadores, e sim, a outra empresa que eles – também – fecharam. Por isso, quando a promotora falou: “o Clube dos Recreadores terminar o serviço deles e precisam receber”. A noiva disse: “mas eu não contratei eles.”


E o mais interessante ainda é que:

Imagina se a outra empresa fosse trabalhar no evento? Haveriam duas empresas no mesmo evento. A contratante teria que pagar para as duas empresas ou se a outra empresa não tivesse um contratado assinado, certamente ela que não receberia.


O mais extraordinário é que:

Nós do Clube dos Recreadores não sabíamos de nada... para nós, era mais um ótimo trabalho com recreação. Mas por trás a noiva havia feito uma tremenda confusão.


Ao entrar no carro rimos da situação, porque foi positiva. Lembro que minha esposa disse: “nunca podemos deixar de fazer e trazer um contrato, pois ele nos salvou de um prejuízo”.


Agora, pensa se não tivéssemos feito um contrato. Se fosse só um acordo de boca? E mais, e se não tivéssemos levado conosco o contrato? Certamente teríamos perdido tempo, dinheiro e deixado de ganhar. Seria um tremendo prejuízo.


Viu só a importância de um contrato?


DICAS PARA ESTRUTURAR UM CONTRATO
  • Divida em Partes

  • Opção para colocar os dados completos do contratante

  • Informes os dados do contratado, ou seja, sua empresa ou você

  • Informe o objetivo do contrato: quais os serviços que vão prestar

  • Informe o local, duração, data que o serviço ocorrerá

  • Informe como será o pagamento

  • Informe uma cláusula sobre rescisão, ou seja, se algo ocorrer os serviços são cancelados sem ônus entre as partes

  • Assinatura do contratante e a sua


Se você tiver dúvidas sobre Recreação nos envie uma mensagem!


CLIQUE EM - LISTA VIP - E RECEBA CONTEÚDO EXCLUSIVO NO SEU E-MAIL

Professor Mestre Cleber Junior

170 visualizações

Copyright Mestre Cleber Mena Leão Junior  |  Maringá, Paraná, Brasil  |  CEP: 87083-500