POUCAS CRIANÇAS: E AGORA?

Atualizado: Jun 29



Todo recreador deseja chegar para uma atividade com vários participantes prontos para brincar e se divertir. Há várias atividades para realizarmos com uma turma grande, como por exemplo: emboscada, pique-bandeira, alerta, pega-pega, queimada, jogos esportivos, entre tantos outros.


#sourecreador #sourecreadordesucesso #habilidadesdorecreador


Porém, nem sempre é assim. As vezes nos deparamos com um número reduzido de participantes. Seja por meio de uma divisão de grupos ou em uma festa de aniversário. No segundo caso é algo que não cabe a nós uma previsão, pois podemos chegar em uma festa de aniversário que era para ter 30 participantes, e chegando lá, apenas 5 compareceram.


Se você já passou por isso, assim como eu, você sabe do que estou falando. Na hora bate um desespero, pois você já havia preparado várias atividades para um total de 30 participantes, e agora só tem 5. Em poucos segundos temos que colocar a criatividade para funcionar e criar uma nova programação de atividades.


Para lhe ajudar com essas questões, abaixo descrevo algumas dicas que ao longo do meu trabalho com recreação eu fui elaborando para suprir essa necessidade. Tenho certeza que elas vão lhe ajudar bastante, assim como já ajudou tantas pessoas.


Caso você ainda não tenha passado por isso... siga as dicas desse texto que quando esse momento chegar, você estará pronto e sairá dessa situação completamente por cima.


1. PLANO C

Talvez você já ouviu falar em Plano B. Ele nada mais é do que uma carta na manga para situações imprevistas. Por exemplo, temos que ter um Plano B para dias de chuva. Ao montarmos uma programação para determinado evento ao ar livre, certamente temos que montar também, uma programação para dia de chuva se caso começar a chover. Se não tivermos um Plano B com atividades para dia de chuva, acabaremos em apuros. Costumo dizer que temos que ter o Plano C, que nada mais é do que o Plano B (atividades para dia de chuva) e o Plano C (atividades para poucos participantes).


2. DURAÇÃO DAS ATIVIDADES

Uma relação de tempo de duração das atividades deve ser levada em consideração. Se tivermos 30 participantes e realizarmos uma brincadeiras que cada participantes demore 30 segundos para falar algo. Essa atividade durará no mínimo 15 minutos. Se tivermos apenas 5 participantes, a mesma atividade, durará 2 minutos e 30 segundos.


Outro exemplo, um pega-pega com 30 participantes durará mais tempo do que um pega-pega com 5 participantes. Pois eles vão cansar muito mais rápido e o envolvimento da atividade será menor.


Isso significa que quanto menor o público, mais atividades devem ser aplicadas. Lógico, se você perceber que tem uma atividade que eles estão amando participar, pode estender a duração dela, desde que esteja dentro do seu tempo. Afinal, o propósito é que eles tenham prazer em participar das atividades proporcionadas pelo recreador.


3. DICAS DE ATIVIDADES QUE FUNCIONAM

Abaixo apresento para vocês atividades com e sem materiais que funcionam. Primeiramente vou destacar as atividades sem materiais, pois são mais rápidas de aplicar, pois não há utilização de materiais.


ATIVIDADES SEM MATERIAIS

1) MORTO-VIVO

Os participantes ficam em fileira e um é escolhido para ser o mestre. Quando o recreador falar “morto”, os participantes agacham; quando falar “vivo”, os participantes ficam em pé. Algumas variações são: “careca” coloca as mãos na cabeça; “cabeludo” coloca as mãos acima da cabeça; “frente” dar um passo para frente; “trás” dar um passo para trás. E assim alternando e acelerando.


2) MESTRE MANDOU

Inicia com o recreador sendo o mestre. Os demais obedecerão a ele. O mestre dá uma ordem, começando com “o mestre mandou”, por exemplo: “o mestre mandou pegar uma pedrinha” e incluir outros comandos “pular em um pé só”, “dançar”, “agachar” após alguns período, uma participante acaba sendo o mestre.


3) JOGO DA MEMÓRIA

Os participantes devem estar sentados em círculo. Escolhe-se um jogador para estar no centro do círculo. Esse terá um determinado tempo para visualizar como estão vestidos e onde estão sentados os seus colegas. Após o tempo determinado, retira esse jogador para longe do grupo (em um local que ele não possa ver e nem ouvir o grupo). Neste momento, o grupo que está sentado poderá fazer de 1 a 5 alterações, como por exemplo, trocar de lugar, trocar acessórios (óculos, anéis, brincos, bonés) uns com os outros, trocar tênis, mudar o penteado do cabeço (de preso para solto), entre outros. Após realizar as trocas, o jogador retorna ao centro do círculo e tentará comunicar o número de alterações realizadas.


4) TROCA DE LUGAR

Em círculo, o recreador inicia a atividade no centro do círculo e dará determinados comando e todos que tiverem as características faladas pelo recreador, deverão trocar de lugar. Por exemplo: “troca de lugar quem está de tênis” e consequentemente todos que estão de tênis devem obrigatoriamente trocar de lugar, neste momento o recreador deverá sentar em um local vago e a pessoa que ficar em pé é a que dará o próximo comando.


ATIVIDADES COM MATERIAIS

1) PULAR CORDA

Existem várias formas de brincar de pular corda. Apresento algumas delas:


Tradicional: pode-se brincar pulando com um pé ou com os dois, antes que a corda toque o chão. Lembrando que nesse jogo, o próprio participante pega a corda e pula.


Básico: nessa brincadeira, precisa-se de no mínimo 3 participantes (dois seguram uma ponta da corda, batendo-a em círculo para que o terceiro participante pule). Para que o jogo fique bem divertido os dois integrantes que estão batendo a corda podem acelerar o ritmo da batida da corda e aumente também aumentar o número de pessoas que estão pulando a corda.


Músicas: pode-se brincar de pular corda cantando várias músicas. Clique aqui para ouvir as músicas.


2) JOGO DA VELHA

Materiais: Papel e Caneta. O jogo da velha é um jogo de regras extremamente simples, que não traz grandes dificuldades para seus jogadores e é facilmente aprendido. O jogo pode ser jogado sobre um tabuleiro ou mesmo sendo riscado sobre um pedaço de papel ou mesa. O tabuleiro é uma matriz de três linhas por três colunas. Dois jogadores escolhem uma marcação cada um, geralmente um círculo (O) e um xis (X). Os jogadores jogam alternadamente, uma marcação por vez, numa lacuna que esteja vazia. O objetivo é conseguir três círculos ou três xis em linha, quer horizontal, vertical ou diagonal, e ao mesmo tempo, quando possível, impedir o adversário de ganhar na próxima jogada. Quando um jogador conquista o objetivo, costuma-se riscar os três símbolos.


3) JOGO DA FORCA

Materiais: Papel e Caneta. O jogo da forca é um jogo em que o jogador tem que acertar qual é a palavra proposta, tendo como dica o número de letras e o tema ligado à palavra. A cada letra errada, é desenhada uma parte do corpo do enforcado. O jogo termina ou com o acerto da palavra ou com o término do preenchimento das partes corpóreas do enforcado. Para começar o jogo se desenha uma base e um risco correspondente ao lugar de cada letra.


4) QUEM SOU EU

Em círculo, cada participantes escolhe o nome de uma pessoa famosa, personagem de filme ou desenho, e escrever em um papel. Cada papel será grudado na testa da pessoa ao lado, sem que ela veja. A ideia é que cada pessoa tente descobrir a pessoa que está em sua testa. Para isso, deve e fazer perguntas e os outros participantes podem responder apenas sim ou não.


Espero que essas quatro dicas Plano C (atividades para poucos participantes); duração das atividades; atividades sem materiais; e atividades com materiais lhe ajudem a desenvolver um trabalho mais efetivo com recreação em seus próximos eventos.


Se você tiver dúvidas sobre Recreação nos envie uma mensagem!


CLIQUE EM - LISTA VIP - E RECEBA CONTEÚDO EXCLUSIVO NO SEU E-MAIL

Professor Mestre Cleber Junior

284 visualizações

Copyright Mestre Cleber Mena Leão Junior  |  Maringá, Paraná, Brasil  |  CEP: 87083-500