SEJA ORIGINAL, NÃO A "COPY"

Atualizado: Ago 2



Lembro-me de um fato verídico que ocorreu na época em que eu cursava a faculdade de Educação Física. Montei um projeto para ser aplicado em um órgão público em minha cidade: estudei muito, criei, desenvolvi, escrevi, imprimi colorido, encadernei, apresentei. Tudo certinho!


Meses depois, recebi a resposta de que o projeto não foi aprovado. Eu acreditava no projeto, a população alvo precisava daquele projeto. Mas, a pessoa que tem o poder para que o projeto fosse implantado, infelizmente, não aprovou.


Porém, ano seguinte, vi o meu projeto funcionando. Igualzinho como eu sugeri. Uma pessoa lá dentro, com nome forte e poder implantou meu projeto, deu o seu próprio nome para ele e contratou amigos meus para atuarem junto ao projeto.


Fiquei triste? Nas primeiras 24h sim! (quem vive comigo sabe que a minha tristeza não dura mais que 24h). Hoje eu falo com muito orgulho que tive um projeto implantado ao nível gigantesco, e que só minha esposa e meus pais sabem, que a ideia foi minha.


Agora, no que se refere especificamente sobre Recreação, eu tenho visto algumas ideias, escritas e projetos meus sendo copiados e implantados. Fico triste? As mesmas 24h de sempre. Vejo minhas frases sendo usadas em site e outros lugares.





Há alguns anos atrás, quando tive o meu primeiro site www.cleberjunior.com.br. Eu contratei uma empresa para fazer para mim (hoje os meus sites são pensados, criados, editas por mim), exceto o www.clubedosrecreadores.com que é por uma empresa de Curitiba (PR).


Agradeço de coração a empresa que fez meu site pessoal, fez do jeito que eu queria na época. A história não tem nada haver com essa empresa, mas sim, com outro Recreador, que também tinham um site. Nessa história, meu site foi construido primeiro, pensei em todos os detalhes, e especificamente, nos textos e informações a respeito dos conteúdo que dizem respeito a mim e as informações que eu queria passar.


Para encurtar a história, ele copiou (literalmente) tudo que eu escrevi. E não era conteúdo simples, de opinião pessoal, onde qualquer um tem, também pouco atividades recreativas ou dicas de atividades que podemos achar em vários lugares as mesmas (até por que as atividades são de domínio público).


Entrei em contato com ele (obviamente eu não discuti, só apresentei minhas provas). Demorou alguns dias. Mas no final ele admitiu a cópia. Não disse que foi ele, mas jogou a culpa na pessoa que estava fazendo o site para ele. Não acredite, para mim, estava extremamente claro que foi ele, pois quem constrói site, não inclui conteúdo, isso é responsabilidade da pessoa que está contratando.


Enfim, tive que mostrar prints de datas, mostrando que o conteúdo era meu, mesmo ele falando que ele havia escrito antes. (por isso eu não acredito que a culpa era da pessoa que construiu o site para ele).


Cleber, com isso tu também não pode copiar nada de ninguém você deve estar se perguntando. Bom, copiar, exatamente igual, eu disse, exatamente igual. Claro que não concordo, mas pegar uma ideia, para se inspirar e montar o seu site, sua frase, seu curso, etc. Claro, pode sim. E com isso eu fico super feliz, em servir de inspiração.


Mas dizer que sua proposta não foi aprovado e depois implantar ou eu ter provas que a cópia foi realizada e na maior cara de pau dizer que não (e depois desmentir)? Ai não dá!


Agora eu paro e reflito! Em 2019 eu lancei o Programa Recreador de Sucesso, até então, o primeiro curso para formação de Recreadores de Sucesso no Brasil, e agora eu vejo outros cursos nesse mesmo ramo. Fico feliz por ter lançado uma tendência, porém, fico triste por haver algumas cópias. Mas tudo bem, a autoridade sempre é quem vem primeiro. 


Não é só comigo... não é só nessas áreas... que há muuuuuitas cópias ainda em nosso meio. Atualmente consigo identificar 3 pontos que faz com que isso ocorra:


1. POR FALTA DE INTERESSE

Bom, você não quer saber quem é seu público alvo, como ele se comportar, quais são as necessidades deles. Então, já que o outro fez... é por que dá certo... então vou copiar o que ele escreveu que vai dar certo para mim. Esse tipo de padrão é alguém desinteressado, não quer investir tempo em aprender mais e entender o seus cliente. Pessoas são diferentes, se comportam diferentes, e para cada nicho há uma necessidade diferente.


2. POR QUEREREM ACELERAR O PROCESSO

Nossa, alguém já fez o que eu gostaria de fazer. Cara, tenho que ser rápido e também fazer igual. Hummmmm... mas isso vai levar tempo!!! Já que ele fez, vou copiar e pronto. Não é assim que funciona não, pois os processos nos ajudam a obtermos ferramentas que podemos utilizar mais para frente, então... por favor: não pulem os processos, ou seja, com base no seu perfil, adapte o que você viu, coloque a sua cara ou a cara da sua empresa e faça você mesmo. Você é capaz, mesmo que demore. No final, você ficará extremamente satisfeito, pois o projeto tem a sua cara (seja um texto, arte, site).


3. POR ACHAREM QUE "NÃO DÁ NADA COPIAR"

Não dá nada mesmo, o concorrente nunca vai saber. Alguém já ouviu aquela frase batida que diz assim: "na natureza, nada se cria, tudo se copia"? Bom, eu vou ter que discordar agora. Pois eu creio, de todo o meu coração na sabedoria e no potencial criativo das pessoas para adaptar, alterar e criar (sim) atividades para diferentes públicos, locais, momentos e culturas específicas. Não só acredito, como escrevi um livro partindo do meu processo de criação: “Como Criar Atividades Recreativas: passo a passo”.


Clique e conheça meu ebook.


Aqui utilizei como exemplo as atividades recreativas, mas quero ampliar para tudo que você for fazer, desde uma frase, como uma arte, a criação de um site, um curso e etc. Não sei se você sabe, mas o que nos diferencia dos animais é o nosso processo de criatividade.


Não só acredito na originalidade, como vivo as ações de pioneirismo na Recreação – em 2018 recebi, junto com alguns amigos, o Prêmio Destaque Pioneiros do Lazer na Categoria Recreação concedido pelo Seminário de Estudos do Lazer (SEL) essa é uma delas, existem outras.


A final de contas... alguém teve que ter as habilidades e competências necessárias para desenvolver com sabedoria a práxis daquela ideia, ou seja, alguém tem que começar!


Não seja cópia do seu concorrente! Entenda, análise e estude as dores/necessidades do seu cliente (pois cada caso é um caso), logo, torne-se original para o seu cliente.


Se você tiver dúvidas ou contribuições, por favor, insira nos comentários. Ela poderá ajudar tantas outras pessoas!



0 visualização

Copyright Mestre Cleber Mena Leão Junior  |  Maringá, Paraná, Brasil  |  CEP: 87083-500