PROFESSOR(A) SIM E TIO(A) TAMBÉM: CARTAS A QUEM OUSA RECREAR

Atualizado: há 7 dias


“Professor(a) sim e tio(a) também: cartas a quem ousa recrear” é uma reflexão contemporânea - na vertente da recreação - da obra “Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar” de Paulo Freire datada de 1997.


A obra de Paulo Freire é uma concepção ideológica onde Freire enfatiza no livro é que a docente ao ser chamada de tia, acaba por eufemizar a sua formação. O termo tia, usado por tantos alunos quando se referem ao professor é, de certa forma, a diminuição da função e do profissionalismo do mesmo. Uma tia poder ser tia e não ensinar nada ao sobrinho, porém, uma professora só pode ser chamada de professora quando ensina, a profissão lhe exige isto. Além disso, Freire diz que tia traz consigo uma ideia de parentesco, não somos tias e sim professoras, pois a ideia de professora está carregada de uma formação, uma luta por classe, uma ideologia. Ao contrário de tia que diminui a profissão, tornado o ser professor algo medíocre. (opinião sobre a obra realizada por diversos leitores coletadas em fórum de resumos oficiais e compiladas acima).


Bom, de tempos em tempos surgem dúvidas e discussões sobre a utilização da nomenclatura: Professor(a) ou Tio(a) para os Recreadores. Haja visto que essa discussão não é nova, talvez ela tenha surgido após 1997 com a publicação do livro do Paulo Freire, talvez não. No meu caso, em meu primeiro ano da faculdade, em 2004, já estive diante dessa discussão.


Antes de entrar na minha opinião sobre qual a melhor nomenclatura utilizar, quero destacar que, para atuar com Recreação não há uma formação específica, pois é um campo de ocupação multiprofissional (se quiser saber mais clique aqui e leia o artigo que escrevi sobre: quem pode trabalhar com recreação).


Diante disso, profissionais não ligados a educação formal podem atuar com recreação, nesse caso, eles não serão “professores”. Por exemplo, o profissional formado em Turismo que trabalha com Recreação é denominado como Turismólogo. Qual seria a nomenclatura mais fácil para uma criança chamar esse profissional: Turismólogo ou Tio?





UTILIZAÇÃO DA NOMENCLATURA

Bom, o que pretendo refletir e destacar nesse artigo, não é como ficará mais fácil para a criança chamar o Recreador, mas sim, te apresentar conteúdos para você poder justificar a escolha da nomenclatura que utilizará em sua atuação como Recreador: professor(a) ou tio(a).


Para você entender melhor de onde construí minha reflexão contemporânea sobre o tema, preciso que você conheça 3 pontos sobre mim:


1 – Me formei em Educação Física em 2007

2 – Me formei em Pedagogia em 2019

3 – Tenho uma filha de 3 anos


Você deve estar se perguntando: Cleber, o que tudo isso tem a ver com o tema?


REFLEXÕES


Na linha pedagógica, a pedagogia vê a nomenclatura tio(a) como algo que menospreza a formação como professor(a) – isso na visão do Paulo Freire, e muitos pedagogos estão ligados a essa linha teórica.


Porém, eu não acredito que utilizar a nomenclatura tio(a) menospreze a minha formação, tampouco o meu conhecimento. Uso essa nomenclatura como uma técnica de rapport (se quiser saber mais clique aqui e leia o artigo que escrevi sobre: como me aproximar das crianças). Essa técnica nada mais é do que criar uma conexão com as crianças. Porém, quando estou em sala de aula utilizo o termo institucional: professor (pois minha formação me dá o direto de utiliza-la).


Agora como área de formação em Educação Física, vejo o seguinte: Podemos utilizar de ambas as nomenclaturas. Isso é exatamente o que eu faço e é o que eu ensino:


Na Recreação Escolar (eu disciplinar curriculares na escola) eu sou o professor, já em Recreações que há a necessidade de ficarmos um maior tempo com as crianças, como por exemplo, colônia de férias, acampamentos, hotéis, entre outros, que possibilite e/ou seja necessário um vínculo (como o Paulo Freire fala) afetivo. Nada melhor do que sermos tio(a)s.


Penso que o professor de sala de aula (das outras disciplinas, que não sejam da Educação Física) também podem aderir essas nomenclaturas: professor(a) em sala de aula e em uma recreação na educação não formal pode ser o tio(a).


Nesse caso, nós seremos o contato direto deles, nos que daremos segurança para eles, nós seremos o porto seguro deles naquele momento.


Acredito que nesse momento você já entendeu o título desse artigo: professor(a) sim e tio(a) também. Precisamos entender o momento e o local que estamos trabalhando – isso vale para Educação Física, Pedagogia e todas as outras áreas que trabalham com Recreação – pois ao utilizarmos a nomenclatura tio(a) estamos informando (mesmo que subjetivamente) que queremos criar uma conexão – talvez – para sempre com aquela crianças.


Pois cada tio(a) tem um nome criativo, alguns nem lembram nomes próprios, como por exemplo: samurai, pamonha, piu, chocolate, rosa, billy, rods, sorriso, super shock, chinelo, milk, estrela, e por ai vai. (uma breve homenagem há alguns recreadores que nos seguem no instagram). SIGAM-ME OS BONS @sourecreador


IDENTIFICAÇÃO COM O PÚBLICO

Agora, enfatizo uma outra situação, apenas para você perceber o momento e o público alvo ao qual você se dirigi, o rapport necessário para cada uma delas, ou seja, o que você quer passar subjetivamente ao criar essa conexão.


O que eu sempre falo aos Recreadores e faço é o seguinte: quando vou fechar algo (seja festa de aniversário ou um grande evento em uma empresa multinacional) me apresento como Cleber Junior.... Quando estou com as crianças eu sou o Tio Binho. Quando estou dando aula na faculdade eu sou o Professor Cleber. Quando estou com os adultos e amigos eu sou Cleber. Quando estou com minha esposa eu sou o Amor. Quando estou com minha filha eu sou o Papai.


O que quero deixar claro é o seguinte: como você quer ser visto pelo seu público? Como professor(a)? Se apresente como professor(a). Se for como tio(a)? Se apresente como tio(a). A identidade é quem somos.


Há casos de crianças, que mesmo eu me apresentando como tio, acabam me chamando de professor. E o que eu faço? Eu não corrijo ela, apenas em momento oportuno introduzo algumas falas como por exemplo: agora o tio vai falar... deixa que o tio pega... o tio vai contar até 3. Temos que entender que pessoas são diferentes. Se ela entende e deseja me chamar de professor, tudo bem.


Quando fechamos eventos com empresas que os donos sabem diversas línguas, conhecem diversos países ou ao contrário... não devo me apresentar como o Tio Binho, pois eles são os contratantes, preciso ser profissional.


Em meus vídeos no canal, como a ideia que quero passar é de um profissional que deseja ajudar outros profissionais eu sou o Cleber Junior do Clube dos Recreadores e não o Tio Binho.


O problema sempre é o extremismo.


Tem um recreador que conheço que jamais fala o nome dele. Até quando ele fecha um evento com o contratante ele não fala seu nome. Só fala o seu apelido de tio. Não acredito ser uma atitude profissional. Mas cada um tem sua ideia de como deve ser seu trabalho. A gente ensina e quem tem ouvidos ouça.


CONEXÕES

Para finalizar, compartilho com vocês algo pessoal: um dos momentos da educação na minha filha. Como eu entendo que essa relação de falar tio(a), gere uma conexão, uma proximidade familiar. Finalizo com 3 terceira informação que apresentei sobre minha vida para construir minha opinião:


Lembra que disse que tinha uma filha de 3 anos?


Quando há uma intervenção de alguma pessoa para com minha filha, seja em uma loja, mercado, na academia, na igreja, etc... essas pessoas se apresentam como tio(a). Já é popular se apresentar para uma criança dessa forma.


O que nós fizemos é prontamente reforçar a fala dessa pessoa para a nossa filha de outra forma. Veja o exemplo:


Se a atendente da loja de brinquedos disser assim:

- ah... você quer ver os cachorrinhos da patrulha canina? Vem que a tia te mostra!


Nós prontamente reforçamos assim:

- filha, quer ver os cachorrinhos da patrulha canina com a “moça da loja”? Vamos lá com a moça então!


Retiramos a nomenclatura tio(a) de nossa fala e incluímos o moço(a). Porque? Porque simplesmente sabemos como a palavra tio ou tia pode gerar algo de proximidade e familiaridade. E não queremos para um estranho essa conexão.


Porém, quando estamos na Recreação utilizamos essa palavra ao nosso favor. Da mesma forma que a moça da loja de brinquedo utiliza. É errado? Não! É perigoso usar? Não! É simplesmente uma técnica de rapport, conexão.


Para concluir, independe da sua formação ser na educação formal ou informal. O que precisa ficar claro na utilização das nomenclaturas professor(a) ou tio(a) é o público alvo que você estará lidando, como você quer ser visto por eles e as conexões que você quer fazer com eles.


Entenda: se seu colega gosta de ser chamado de professor(a), não julgue, talvez ele ainda não tenha lido essa reflexão, então, indique essa leitura para ele. Se mesmo assim ele não concordar, tudo bem. Pessoa são diferentes. Porém, que não pode sair perdendo são os participantes de nossas atividades.


Contribuições e pontos de vistas diferentes são extremamente e essencialmente bem-vindos. Vamos colaborar com o crescimento das discussões sadias para o aumento do conhecimento de todos, principalmente dos participantes de nossas atividades, seja no âmbito da educação formal ou informal.

CLIQUE PARA BAIXAR O LIVRO

Paulo-Freire-Professora-sim-tia-não-Cart
.
Download • 430KB

O Professor Mestre em Ensino Cleber Junior é Mentor de Recreadores com mais de 1 milhão de visualizações em seus vídeos no Youtube. Criador da 1ª formação online para o Recreador de Sucesso no Brasil e do curso online o Recreador do Futuro. Prêmio Melhor Produção de Conteúdo e Influência Digital. Cristão. 🚀 Te ensino o que ninguém te ensina sobre Recreação.

184 visualizações

Copyright Mestre Cleber Mena Leão Junior  |  Maringá, Paraná, Brasil  |  CEP: 87083-500